Centros Integrados De Educação Pública (cieps) E Os Centros Integrados De Apoio à Criança (ciacs)

O ensino em tempo integral, comum em muitos países, nunca vingou no Brasil. Mas já foi tentado em algumas ocasiões. Na primeira metade da década de 1990, por exemplo, dois polêmicos projetos com a mesma concepção básica foram implantados por governos estaduais e federal: os Centros Integrados de Educação Pública (Cieps) e os Centros Integrados de Apoio à Criança (Ciacs).

Em ambos os projetos, o aluno era estimulado, por meio de atividades esportivas ou assistidas, a permanecer na escola em tempo integral para garantir melhor desempenho. O custo por aluno era o triplo do observado em uma escola convencional.

Os Cieps foram criados na primeira gestão do governador Leonel Brizola no Rio de Janeiro (1983-1987), com o fim de oferecer educação integral à criança. Os complexos escolares – projetados pelo arquiteto Oscar Niemeyer – incluíam gabinete médico e odontológico, bibliotecas, quadras de esporte e refeitório.

A proposta pedagógica, do educador e ex-senador Darcy Ribeiro, incluía a não-reprovação. Em vez de provas, os alunos passaram a ser avaliados por objetivos, que, se não alcançados em um ano, continuariam sendo trabalhados pelo professor no ano seguinte, sem reprovação do estudante. Era um sistema similar ao adotado na França.

Os Ciacs, com cerca de 4 mil m² de área construída, inspiraram-se no modelo dos Cieps. Tinham aproximadamente o mesmo custo (US$ 1 milhão por unidade) e atendiam o mesmo número de crianças (750 a 1.000). Englobavam num mesmo espaço educação, saúde, cultura, esporte, creche, capacitação profissional, proteção especial à criança e desenvolvimento comunitário. 

O primeiro Ciac foi inaugurado em 1991 na Vila Paranoá, na periferia de Brasília. Quatro anos depois, as construções de novos Ciacs foram interrompidas. Mas ainda há centenas dessas escolas em funcionamento no país.

Criticados por alguns educadores, que os consideraram meramente promocionais, tanto os Cieps quanto os Ciacs foram, para muitos, uma verdadeira revolução no ensino. Em seu parecer sobre o projeto do turno de oito horas diárias, o senador Cristovam Buarque elogiou as tentativas já realizadas no país para a implantação do ensino em tempo integral, entre as quais os Cieps e as escolas-classe e escolas-parque, concebidas nos anos 1960 por Anísio Teixeira para a recém-fundada Brasília.