Biomecânica Do Ciclismo

O presente estudo tem como objetivo verificar se há um número significativo de estudos relacionados à biomecânica do ciclismo na produção nacional. Como universo de análise foram escolhidos os anais do Congresso Brasileiro de Biomecânica (CBB) assim como todas as edições das Revistas Brasileiras de Biomecânica (RBB), pois estes representam a produção nacional dos últimos 12 anos relacionada à biomecânica. Foram analisados 1042 artigos; posteriormente, foi utilizada a técnica de “Scanning” (GOODMAN, 1976 apud KLEIMAN, 1989) para que assim fosse feita uma seleção dos artigos úteis ao desenvolvimento deste estudo. 

Em um segundo momento, o conteúdo dos artigos selecionados foi submetido a uma análise de conteúdo. Foram analisados 31 artigos, dividindo assim o trabalho em 4 estudos. Foram analisadas as seguintes temáticas relacionadas ao ciclismo: EMEC, instrumentação e construção de equipamentos, análise do padrão de ativação muscular e variáveis cinemáticas. A partir da analise de conteúdo, foi possível verificar que as pesquisas relacionadas à biomecânica no Brasil ainda são muito escassas. O fato de o Brasil ser um país que possui um enorme número de ciclistas, mas em contra partida possui uma baixa produção cientifica relacionada ao ciclismo, mostra que não há uma aproximação entre o meio acadêmico e os praticantes e atletas de ciclismo. Outro fato a se considerar é o fato de existirem poucos instrumentos que proporcionem a investigação da  eficiência mecânica no ciclismo, acarretando assim uma grande dificuldade para o número de pesquisas relacionadas a análise da biomecânica do ciclismo cresçam significativamente.

Veja texto completo em anexo