Fernando Aranha Se Tornará O Primeiro Brasileiro A Disputar As Paralimpíadas De Inverno E De Verão

Assim que iniciar a prova do triatlo paralímpico, que estreia no Rio de Janeiro,  Fernando Aranha vai fazer história, pois ele se tornará o primeiro brasileiro a competir tanto em uma paralimpíada de inverno quanto de verão. E fazer história é com ele, pois em 2014 em Sochi, participou do esqui cross-country e tornou-se o primeiro brasileiro a competir nos Jogos Paralímpicos de Inverno. 

Quando tive a oportunidade de competir no esqui cross-country, aceitei porque minha verdadeira meta era competir no Rio 2016", conta Fernando em entrevista ao site do Comitê Paralímpico Internacional (IPC). "Eu aproveitei para aumentar a competitividade. Eu tinha um sistema de treinos diferente e precisei me colocar em um ambiente competitivo. Eu não tinha experiência, mas tinha a habilidade para praticar vários esportes".

Segundo Fernando, é possível transportar diversas situações de uma modalidade para outra. "O esqui cross-country ajudou na resistência. O ambiente e o frio aumentam a intensidade de exigência para o meu corpo. Me ajudou a ser um atleta melhor", conta ele, que cita outro exemplo prático. "Os movimentos com os bastões de esqui são bem semelhantes aos das braçadas na natação". 

Oitavo colocado do ranking de sua categoria, o brasileiro pretende subir ao pódio no Rio de Janeiro. "Farei o meu melhor e gostaria muito de ganhar uma medalha", disse o atleta. "Haverá muita gente e muitas emoções envolvidas. É uma das poucas oportunidades que eu tenho de mostrar gratidão pelo tanto que tenho sido valorizado".

Independentemente de seus resultados no Rio, Aranha quer continuar ajudando as pessoas após os Jogos Paraolímpicos como o diretor de esportes para a organização não-governamental Entre Rodas e Batom. Competindo Nos primeiros Jogos Paralímpicos da América Latina é um bom ponto de partida.

"Eu espero poder usar a imagem dos Jogos Paralímpicos para que mais pessoas do Brasil se inspirem a fazer o seu melhor no esporte e na vida", disse ele.

Surto Olímpico

Foto: divulgação