A Capoeira Na Perspectiva Intercultural: Questões Para A Atuação E Formação De Educadores(as)

Se nos perguntássemos como podemos definir a capoeira a possibilidade de respostas seria bastante variada e ampla. Alguns entre nós diriam: capoeira é uma luta; outros diriam capoeira é um esporte; outros, ainda, poderiam dizer capoeira é lazer, é festa, é vadiação, é brincadeira, é uma atividade educativa de caráter informal. 

Talvez, aqueles e aquelas mais inconformados, como eu, com as classificações simplistas e reducionistas rejeitariam todos esses termos e diriam que a capoeira é tudo isso.

Poderíamos, então, pensar uma forma de expressar ou compreender toda a vivacidade da capoeira. É nesse sentido que penso que compreender a capoeira como sendo uma prática cultural representa um ganho ou mesmo um salto qualitativo para além das visões essencialistas, que, por vezes, apelam para um mito de origem reivindicando a pureza ou a tradição de um certo antigamente da capoeira. 

Com isso quero chamar atenção para o entendimento de que as práticas culturais, como a capoeira, não estão paradas no tempo e, por isso mesmo, a transformação constante é algo inevitável. Certamente, as necessidades e os problemas dos(as) capoeiras de outrora não os mesmos de hoje. A cada dia se joga uma capoeira diferente. A capoeira de hoje é diferente da ontem e da de amanhã – esse exemplo de constante transformação demonstra suficientemente bem que a cultura está em permanente mudança.

Veja texto completo em anexo.