Donald Trump Não é Um Aliado Do Futebol Nos Estados Unidos

Bilionário republicano não é fã de futebol, o que pode complicar a intenção da Federação do país em sediar mais uma Copa do Mundo

O Estados Unidos conheceram seu novo presidente: o republicano Donald Trump derrotou a democrata Hillary Clinton nas urnas e vai comandar a nação mais poderosa do mundo a partir de janeiro de 2017, quando começa o seu mandato. O bilionário é visto como uma personalidade bastante polêmica e a expectativa de suas ações sobre o esporte também são grandes.

Donald Trump não é um aliado do futebol nos Estados Unidos - por lá, o "soccer". O presidente da (US Soccer) Federação de Futebol dos Estados Unidos, Sunil Gulati, deu entrevistas recentes citando que o maior inimigo para o país voltar a receber uma Copa do Mundo, em 2026, seria o republicano, que não é fã da modalidade, que vem crescendo e se tornando cada vez mais popular.

"O sucesso dos Estados Unidos para ter novamente uma edição do Mundial passa pela visão de nossos líderes. Toda a percepção sobre o nosso país fica afetada por quem estiver na Casa Branca", comendou Gulati.

NFL e MMA na mira do presidente

O novo presidente dos Estados Unidos, que é fã de beisebol, também palpitou nas regras da NFL, a liga de futebol norte-americana, esporte que é febre por lá. Trump reclamou do número excessivo de infrações que são marcadas atualmente nos jogos da modalidade e, para ele, o contato entre os atletas deveria ser mais permitido. Vale lembrar que existe uma grande polêmica principalmente sobre as regras de concussão, em choques nas cabeças dos atletas.

Além disso, o bilionário também criticou o quarterback Colin Kaepernick, do San Francisco 49ers, que sentou durante a execução do hino nacional americano e ato de protesto contra o racismo dentro do país. Posteriormente, houveram ações semelhantes de várias personalidades do esporte nos Estados Unidos.

O MMA também foi alvo de Donald Trump. Ele causou polêmica quando declarou que ficou feliz com a surpreendente derrota de Ronda Rousey para Holly Holm no UFC 193, por não considerar a ex-campeão "uma boa pessoa".  Um dos maiores ídolos da modalidade na atualidade, o irlandês Conor McGregor mandou uma resposta dura. "Donald tem que calar a boca gorda dele".

IG Esporte

Foto: Divulgação