Como Se Tornar Um Ironman? Fernanda Keller Responde!

Recordista mundial de pódios no Mundial de Ironman no Havaí, seis vezes entre as três melhores triatletas do mundo, cinco vezes campeã do Ironman Brasil e com mais de 100 provas na distância pelo planeta, Fernanda Keller tem propriedade para falar quando o assunto é triatlo. Ícone do esporte no Brasil, ela comandou os três participantes da segunda temporada da série Rumo ao Ápice por três meses de treinos intensos rumo ao sonhado Ironman Florianópolis. Ser um (a) Ironman também é uma meta na sua vida? Então confira abaixo cinco questões comuns aos iniciantes respondidas pela mais famosa triatleta do país:

- A primeira coisa que me preocupa não é se os atletas vão completar o Ironman ou fazer em determinado tempo. Meu maior desafio é que todos cheguem ao dia da prova saudáveis, sem lesão, bem fisicamente. Que essa experiência seja agradável, apesar de ser um treinamento duro. Que eles levem para a vida uma experiência positiva e que a saúde venha sempre em primeiro lugar - afirmou Fernanda.

1. Os candidatos a Ironman precisam ter feito outras provas longas antes?

Fernanda Keller: "Não necessariamente você é obrigado a ter feito qualquer tipo de prova antes. A primeira coisa que todo mundo que quer fazer qualquer prova tem que fazer é procurar um médico para uma avaliação completa e começar a treinar. Não precisa fazer uma maratona, por exemplo, pode fazer um triatlo mais curto. Ou se o sonho dela é fazer uma prova de Ironman, ela treina para uma prova de Ironman. É só se preparar adequadamente. Um bom treinador consegue montar uma planilha, e vai depender muito do condicionamento da pessoa, se já faz esporte, se tem algum impedimento... Isso depende muito do atleta. O meu primeiro triatlo, por exemplo, não foi um Ironman, mas já foi uma prova bem longa."

2. Para ser Ironman é preciso treinar dois esportes por dia e fazer musculação?

FK: "Se a pessoa tiver tempo e oportunidade, o ideal é fazer dois esportes por dia, porque muitas vezes o treino físico, ou seja, a parte de funcional e musculação, é também um treinamento. Mas se não tiver tempo, pode fazer um treino mais longo. Acho que o fortalecimento muscular é cada vez mais reforçado pelos profissionais da área de educação física e fisioterapia, porque a maioria das lesões não ocorre praticando o esporte em si, mas sim por não ter feito fortalecimento. Fortalecer faz com que você tenha força, a musculatura forte para se submeter à carga do triatlo e a flexibilidade que é a saúde do músculo. Tem alongamento, pilates, yoga, musculação, várias atividades complementares que ajudam muito quem faz triatlo. Eu sempre gostei de treinar tudo pela manhã e deixava para à noite só a musculação ou o funcional."

3. É preciso treinar no mar antes de um Ironman?

FK: "Se a competição é no mar, quanto mais íntimo do mar você for, melhor. Não é que quem mora longe do mar não vai fazer uma prova de triatlo, porque a maior parte do treino é na piscina. Mas se puder uma vez por semana nadar no mar, é legal, porque é diferente. Tem correnteza, tem gente que tem medo do mar e vai quebrando essa barreira. Vai ter uma leitura melhor da correnteza contra ou a favor e não se apavorar. É bom treinar no local onde você vai competir para não ficar muito nervoso na hora H."

4. O ritmo dos treinos tem que ser o mesmo da prova?

FK: "O ritmo do treino não precisa ser sempre o da prova. Muitas vezes você treina mais forte do que o ritmo que vai fazer na prova, como num treino curto, ou intervalado e de ritmo variado. E muitas vezes quando vai fazer uma distância mais longa, você treina naquele ritmo que pretende para gravar aquilo dentro de você. Até para só usar o relógio para conferir porque o seu corpo mesmo já vai ter o mecanismo de identificar que aquele ritmo é o que você treinou e o que vai fazer. Mas já os malucos dos atletas profissionais, treinam justamente para se superar, e sempre treinam mais forte do que aguentam e na prova correm riscos enormes. Mas também, se não fizer isso, nunca vai fazer seu melhor tempo ou quebrar um recorde. Eu sempre pensei: “Eu sei que vai doer, que doa, mas pelo menos eu acabo feliz”. Mas isso é uma característica de quem gosta sempre de puxar ao máximo. Isso não impede que você treine em ritmo confortável e faça uma boa prova."

5. É importante treinar as transições entre as modalidades?

FK: "Tudo o que você vai fazer na prova tem que treinar, seja transição, alimentação, roupa, tênis, óculos, tudo. Porque quando chega na hora, você já sabe o que fazer. Esqueça o elemento surpresa. A transição faz parte do treino, sim. Você tem que se habituar a colocar e tirar a roupa de borracha rápido, colocar a sapatilha, afivelar o capacete, vestir a roupa... Você tem que saber fazer isso de forma dinâmica e eficiente, porque imagina chegar na hora e não conseguir fechar a sapatilha... Você vai ficar nervoso. Tudo isso é treino."


EU ATLETA

Notícia

Foto: divulgação