Após Campanha, Isadora Williams Celebra Vaga Olímpica

Primeira brasileira a se classificar para os Jogos Olímpicos de Inverno de PyeongChan-2018, os segundos de sua carreira, patinadora disputará a Santa Claus Cup em clima natalino

Natal ainda está distante, mas a patinadora brasileira Isadora Williams já garantiu seu presente. Ao terminar no quinto lugar no Troféu Nebelhorn, na Alemanha, com a sua melhor nota final na temporada (154,21 pontos), a atleta foi a primeira da delegação verde e amarela a se classificar para os Jogos Olímpicos de Inverno de PyeongChang-2018. 

Aproveitando o clima natalino, ela participa, a partir desta segunda-feira, às 6h (horário de Brasília), da Santa Claus Cup, em Budapeste, na Hungria. A competição se encerra no dia 10 e é o último compromisso internacional da atleta este ano. 

Resumindo a conquista da vaga olímpica como 'realização', Isadora se vê mais madura em relação a Sochi-2014, quando fez a sua estreia em Olimpíadas. 

- Quando consegui a vaga olímpica pela primeira vez, eu competi pouco na temporada antes de Sochi. Então, o Emilio Strapasson assumiu a Confederação Brasileira de Desportos no Gelo (CBDG) e o trabalho da Confederação deu frutos bons. Agora, eu competi toda a temporada antes de PyeongChang. Estou mais madura, fiz mudanças de local de treinamento. O apoio da CBDG foi fundamental para o meu sucesso - conta a patinadora que falou sobre a sensação de ter o passaporte para a Coreia do Sul carimbado: 

- A cobertura de um bolo bem gostoso. Eu tenho muito, muito orgulho de representar o Brasil, me emociono todas as vezes que me lembro de Sochi.

A patinadora ainda afirma que, mesmo com as tensões políticas envolvendo a Coreia do Norte - já que PyeongChang é próxima da fronteira - levando entidades a questionarem a segurança dos atletas, acredita em uma grande festa. 

- Não tenho receio algum. Tenho a confiança de que não haverá interferência na realização da Olimpíada. É um espetáculo a que o mundo inteiro quer assistir. Os Jogos de Sochi-2014 estavam cercados de tensão e tudo correu bem. Os Jogos Rio 2016 também foram um espetáculo lindo. 

Pioneira na patinação feminina brasileira, Isadora lançou nas redes sociais uma campanha para arrecadar fundos visando os Jogos de Inverno. Criado em abril deste ano, o "crowdfunding" já somou US$1.065. A meta estipulada é de cinco mil dólares. 

- A iniciativa surgiu por meio da minha pagina no Facebook. Meus seguidores sempre mandavam mensagens de como poderiam me ajudar financeiramente. Então, resolvi fazer a campanha, que foi o maior sucesso. Eu consegui não somente apoio financeiro, mas materiais esportivos e um Website. A Edea me ofereceu as botas, a John Wilson Blades as lâminas, a CPQi o vestido do programa curto, e a #HASH o website. O dinheiro foi utilizado em aulas extras de saltos, o que me ajudou muito. Se somar tudo, a campanha superou o valor estimado - explica Isadora.

A jovem de 21 anos aproveita para tranquilizar a todos. Ela afirma que não terá problemas financeiros para participar dos Jogos na Coreia do Sul. 

- Acredito que não. O Comitê Olímpico do Brasil teve um bom programa para ajudar os atletas que se classificaram para os Jogos de Sochi. Afinal, é o Brasil sendo representado lá fora. Eu conto com o apoio da minha Confederação, a CBDG, a Bolsa Solidariedade (COB) e o Bolsa Atleta. 

Recentemente, Isadora Williams esteve em Curitiba, onde participou da cerimônia de inauguração do ParkShopping Canoas, na Grande Porto Alegre e realizou um treino aberto para os fãs da patinação. Na sequencia, ela foi para Gramado, na Serra Gaúcha, prestigiar a disputa do Campeonato Nacional de patinação artística no gelo.

BATE-BOLA 

LANCE!: Agora que está classificada para Jogos de Inverno, seus treinos sofrerão alguma alteração? Você pretende participar de mais competições para se preparar? 

ISADORA WILLIAMS: Sim, eu vou colocar o salto triplo triplo nos dois programas. Já consigo fazer esses saltos, mas preciso ser mais consistente. Vou ter o acompanhamento de um massagista para não estressar a musculatura. Pretendo aumentar as aulas de salto de duas vezes por semana para três vezes. 

L!: Depois de não conseguir a vaga no Mundial de patinação artística, você mudou algo em seus treinos e séries? 

I.W.: Mudei alguns elementos e elaboramos mais os programas. Criamos um novo programa curto, mais sofisticado. O programa longo eu mantive, ele é muito bom e forte, e eu já estava acostumada com a rotina. 

L!: Sentiu, em algum momento, que a sua vaga olímpica estava ameaçada? 

I.W.: As atletas desta competição eram fortes, mas eu estava preparada fisicamente e emocionalmente. Isto me deu muita confiança. Mas tinha no ar muita expectativa de todas nós que tínhamos a chance de conquistar a vaga. 

L!: Quais as suas grandes inspirações na patinação? 

I.W.: As veteranas ainda me inspiram muito. Yuna Kim, Michelle Kwan, Mao Assada e a Carolina Kostner. São maravilhosas, verdadeiras damas do gelo.


TERRA

Esportes

Foto: divulgação