Termina O Campeonato Brasileiro De Canoagem Velocidade E Paracanoagem 2017

Mais de 470 atletas movimentaram as águas do Parque Náutico Iguaçu, em Curitiba, competindo no Campeonato Brasileiro de Canoagem Velocidade e Paracanoagem 2017. O evento contou com provas de 1000m, 500m e 200m nas categorias Infantil, Menor, Cadete, Junior, Sênior, Master, além da Paracanoagem.

O último dia, domingo (03) teve competições das provas de 200m, as mais rápidas e equilibradas da Canoagem Velocidade. Apenas neste domingo foram conhecidos mais 31 campeões brasileiros.

Os atletas ofereceram um espetáculo para o público que esteve presente neste quarto dia. Muitas provas precisaram ser definidas no photo finish por causa do bom nível e o equilíbrio dos competidores que manteve o suspense até o ultimo segundo de provas para saber quem levaria as medalhas.

Durante toda a competição 122 campeões brasileiros foram definidos em mais de 300 provas disputadas. O evento também foi um sucesso de participação contando com 475 atletas com idades entre 09 e 62 anos de idade representando 41 associações de todo o Brasil.

“A cada ano mostramos que a Canoagem Brasileira evoluiu e já se tornou um esporte de sucesso no país. Estamos trabalhando diariamente para promover ainda mais esse esporte e universalizar a prática da canoagem em todo o território brasileiro. Essa competição que realizamos esses dias mostra bem esse nosso objetivo”, ressaltou João Tomasini Schwertner, presidente da Confederação Brasileira de Canoagem.

Os atletas não brigam apenas pelo título individual, a disputa por associações movimenta e aquece a rivalidade entre os competidores, que remam forte para levar o título para seu estado. Neste ano a disputa na Canoagem Velocidade foi definida por 214 pontos. A Associação Caxiense de Esportes Náuticos – ACEN ficou em terceiro lugar com 657 pontos, na segunda colocação a Associação Cacaueira de Canoagem – ACC garantiu a prata com 762 pontos. 

E a grande vencedora da disputa por associações em 2017 foi a Associação de Canoagem de Itacaré – ACI, que não deu chance para os adversários e garantiu o título com 976 pontos. Na Paracanoagem o Iate Clube Londrina – IEL foi o grande campeão com 103 pontos. O Clube de Canoagem São José dos Pinhais ficou na segunda colocação com 96 pontos e a Associação Fiel de Canoagem de Cascavel – AFCC completou o pódio com 83 pontos.

Legado Olímpico

Depois dos Jogos Olímpicos Rio 2016, o Comitê Olímpico do Brasil (COB) doou uma quantidade significativa de equipamentos para a Confederação Brasileira de Canoagem (CBCa) como catamarãs, canoas, caiaques, barcos de resgate, equipamentos de cronometragem, balanças, estações meteorológicas, partidores e estantes de alumínios para embarcações.

De acordo com o ex-atleta olímpico e atual gerente de eventos da CBCa, Sebastian Cuattrin, esses itens têm melhorado a qualidade dos campeonatos realizados. “A capacitação recebida pelos profissionais que trabalharam nos Jogos e hoje estão na canoagem é algo intangível, mas que reflete muito na excelência dos campeonatos que realizamos desde então”, ressalta Cuattrin, afirmando que, apesar desse ganho mensurável, o maior legado é outro. “Muitos processos aplicados na última Olimpíada são reproduzidos na equipe que organiza os campeonatos da Confederação. Nós escrevemos o manual detalhado de cada evento afim de não restringir o conhecimento às pessoas. Ele tem que ser transmitido e incorporado na organização. Esse foi um aprendizado que tivemos. O COI vem preparando os Jogos Olímpicos há algumas centenas de anos e a cada edição eles fazem o manual de operação com as diretrizes detalhadas do evento. E isso é o que estamos fazendo na Confederação”.

Jovens atletas na Paracanoagem

A cada ano a Paracanoagem vem trazendo atletas mais novos para prática do esporte. Este ano o Campeonato Brasileiro teve a participação dos atletas Luiz Fernando Felix Mariano, de apenas 12 anos e de Angel Santos Moraes, de 15 anos. Os dois são os mais novos praticantes da modalidade, com apenas dois meses de treino.

Para a Saionara Felix, mãe de Luiz Fernando, a evolução do filho após iniciar a praticar a Paracanoagem é visível, “notamos principalmente a mudança na autoestima, ele é uma criança mais feliz, comunicativa e adora ir para água. Sem contar o aumento de força e musculatura”. “Adoro remar”, falou o jovem atleta que é cadeirante devido à Artrogripose Congênita de Membros Inferiores, que é a má formação das articulações.

O técnico de Luiz Fernando, Pedro de Sá falou sobre a importância da renovação nos atletas e a importância de começar com um trabalho de base, também na Paracanoagem. “Já temos grandes resultados no cenário mundial, agora precisamos começar um trabalho de base para que possamos ter atletas para renovar a modalidade”.

Segundo o Supervisor da Paracanoagem da CBCa, Leonardo Maiola, esta renovação é muito boa “se conseguirmos fortalecer a nossa base, no futuro podemos participar dos Jogos Escolares Paraolímpicos, e quem sabe criar categorias por idades e não só por funcionalidades”.

Para Angel Santos Moraes a Canoagem foi um estímulo a vida após o acidente e a amputação da sua perna, no ano passado. “Vi fotos do Pedro Estrela que me estimularam a procurar a Canoagem, fui treinar com ele e gostei. Ele me colocou no caiaque e investiu em mim, estava totalmente sem auto-estima, mas na água minha alegria voltou, vi que ainda posso fazer muitas coisas”.

No final das competições Luiz Fernando recebeu uma homenagem da CBCa, sendo premiado como o mais novo atleta de Paracanoagem. “Para gente é muito importante a presença dele, que sirva de incentivo para todos os jovens”, comentou Leonardo Maiola.


SESTARO .COM.BR

Esportes

Foto: divulgação