A Percepção Da Melhoria Da Capacidade Funcional Em Indivíduos Da Terceira Idade Praticantes De Hidroginástica De Uma Academia De Juiz De Fora

Um país é considerado envelhecido, segundo a Organização Mundial de Saúde, quando o contingente de idosos de sua população ultrapassa 7%. A população idosa brasileira, segundo dados do CENSO2000, é de 8.9%. Entendendo que a prática de uma atividade física regular e orientada pode melhorar aspectos físicos, sociais e psicológicos do indivíduo idoso, esta pesquisa tem como principal objetivo verificar apercepção dos alunos praticantes de  hidroginástica em uma academia da cidade de Juiz de Fora, com relação às mudanças da capacidade funcional proporcionada por esta atividade e compará-los aos resultados obtidos em pesquisa semelhante realizada na cidade de Aracajú.

O presente estudo foi realizado através de uma pesquisa descritiva e qualitativa tendo como amostra quarenta e três pessoas de ambos os sexos, com idade entre 60 e 75 anos, praticantes de hidroginástica através de um questionário elaborado em escala Likert, contendo nove questões que investigaram os seguintes parâmetros físicos: peso corporal, desempenho das atividades diárias, disposição e vitalidade, capacidade de andar e equilíbrio, coordenação motora, força muscular, flexibilidade, firmeza dos músculos e condicionamento físico e perguntas de verificação pessoal como: sexo, faixa etária, grau de escolaridade e tempo de prática da hidroginástica onde correlacionamos as perguntas de verificação pessoal aos resultados obtidos com as perguntas específicas. Através desta correlação de dados, concluímos que os alunos desta academia de Juiz de Fora são capazes de perceber e identificar a influência da hidroginástica na melhoria de suas capacidades funcionais e que, comparados aos alunos da academia pesquisada em Aracajú, esta percepção oscila de acordo com cada variável. 

Veja texto completo em anexo.