Seguir Influenciadoras Digitais Sem Auxílio Profissional Pode Trazer Riscos à Saúde

Contas no Instagram inspiram fãs que querem atingir metas como a de seus criadores. Se somarmos, por exemplo, os seguidores de Gabriela Pugliesi, Mayra Cardi, Bella Falconi e Carol Buffara, são cerca de oito milhões de pessoas acompanhando a rotina das musas fitness. Alguns buscando dicas e exemplos a seguir.

As influenciadoras digitais foram apresentadas em série especial de entrevistas feitas pelo G1 e publicadas nesta semana (veja os perfis abaixo).

As musas fitness não usam seus perfis no Instagram só para dicas, mas também para mostrar sua rotina e anunciar produtos. Especialistas veem o incentivo de hábitos saudáveis como algo positivo, mas alertam sobre o perigo de seguir sem a orientação de um profissional os exemplos postados nas redes sociais.

“Postar conteúdos para incentivar uma mudança de hábitos é positivo, mas pode ser muito perigoso quando um influenciador publica dicas de treinos e ensina as pessoas o que fazer", destaca o André Fernandes, presidente do Conselho Regional de Educação Física do Rio de Janeiro.

"Seguir o treino só porque funcionou para um blogueiro é colocar em risco a própria saúde, podendo se machucar, ter um overtraining, degeneração osteoarticulares, lesões cardíacas”, complementa Fernandes.

Glaucia Figueiredo Braggion é nutricionista esportiva, mestre em Saúde Pública pela Universidade de São Paulo (USP) e doutora em educação física pela Universidade São Judas Tadeu. Ela compartilha da mesma opinião.

Ela destaca que o problema não está ligado a quem posta a rotina nas redes, mas também a quem vê a história de sucesso e quer igualar o objetivo.

“As pessoas desejam resultados imediatos, com o mínimo esforço possível e a obtenção de uma aparência física similar à de quem posta as informações para seguir padrões estéticos socialmente impostos e que na maioria das vezes são inatingíveis na prática de forma segura e natural", diz Glaucia.

Apps fitness

As influenciadoras digitais não são as únicas que atraem a atenção dos especialistas em relação aos riscos à saúde.

“Muitos aplicativos são utilizados para emagrecer e ganhar condicionamento físico, e os riscos quando não se tem um profissional por trás é enorme porque ele não considera o tipo que pessoa, mas a atividade", destaca Fernandes.

Glaucia faz uma ressalva sobre a ferramenta e acredita que, aliada a um profissional especializado, pode trazer benefícios.

“Às vezes, o nutricionista faz as orientações e indica algum aplicativo que possa complementar o trabalho de forma interativa e motivadora. Nesse caso, esse tipo de ferramenta é de extrema importância e com certeza pode ser útil de forma segura.”


GLOBO.COM

Tecnologia

Foto: Reprodução/Instagram