Pilates: Método Democrático

Apesar de notável que a grande parcela de praticantes seja do público feminino, esta modalidade também é voltada para o sexo masculino e é uma solução para aqueles que não se adaptam a academia. Isso porque, o Pilates fortalece os músculos fracos, alonga os músculos que estão encurtados e aumenta a mobilidade das articulações, proporcionando músculos fortes, flexíveis e saudáveis.

O Pilates é dividido em duas modalidades: no solo ou com a ajuda de aparelhos. Segundo a fisioterapia Carolina Ragozzino, a diferença entre as duas está no nível de prática do aluno. "Na modalidade solo, conhecida como Mat Pilates, a execução dos exercícios tendem a ser mais difícil, pois eles exigem força muscular, alongamento, equilíbrio e muita consciência corporal. Já quem opta pelo Studio Pilates (assim é chamada a modalidade que faz uso de aparelhos) o praticante conta com a ajuda de molas que facilitam os movimentos e é o mais indicado para quem está começando", orienta a Ragozzino.

O Pilates é uma atividade democrática. Por isso, além de ser indicado para homens e mulheres, pode ser realizado por pessoas de qualquer idade, grávidas e Pessoas com Deficiência (PCDS).  “Os exercícios melhoram as funções do aparelho circulatório, respiratório, digestivo, reprodutor e excretor, entre outras e pode ser adaptado para a necessidade tanto da terceira idade quanto dos PCDs”, explica a especialista Priscila Guimarães, ao ressaltar que para atingir resultados satisfatórios é necessário que um profissional especializado acompanhe de perto e monte treinos diferenciados.

Pilates para PCDs

O Pilates para Pessoas com Deficiência é um grande aliado na reabilitação e pós-reabilitação em inúmeros casos de lesões, pós-cirurgias, complicações articulares e genéticas e transtornos neurológicos. O método é usado ainda como terapia na prevenção, habilitação e reabilitação de crianças, adolescentes e adultos com deficiência física.

Segundo a fisioterapeuta Luciana Ruas, o Pilates é trabalhado principalmente nas crianças com Paralisia Cerebral e mal formações congênitas, além de portadores de doenças neuromusculares e lesões encefálicas adquiridas na infância. “Por se tornar uma terapia inovadora, o Pilates muda a “cara” da terapia, faz com que se sintam inseridos na sociedade por fazerem o que os outros fazem”, relata a instrutora.

Pilates para Terceira Idade

Com o passar dos anos é natural que haja diminuição de importantes capacidades funcionais. Por isso, o desafio é envelhecer com saúde e de forma ativa e é aí que o Pilates surge como o grande aliado da a Terceira Idade. Por ser uma atividade de baixo impacto e individualizada, é um método muito indicado para idosos ao atuar como prevenção e\ou em pós-tratamento médico e fisioterápico de dores articulares. Entre outros benefícios que serão listados logo abaixo, a atividade diminui os riscos de quedas e suas consequências, aliviando dores articulares e aumentando a autoestima do idoso.

Pilates para grávidas

O Pilates é recomendado para gestantes, pois ao contrário do que se acredita, grávidas podem usufruir da prática, à exceção daquelas que se encontram em gravidez de risco, ou tiveram algum tipo de complicação. Durante este período, é importante que o ginecologista esteja ciente da prática dos exercícios e que seja consultado quanto à sua liberação.

Assim, durante a gravidez, os exercícios de alongamentos devem ser priorizados, pois em função do aumento abdominal, o peso da mulher se desloca todo para frente, alterando o seu centro de gravidade, aumentando a curvatura fisiológica da coluna, e causando dores. Os exercícios abdominais e a mobilidade da coluna serão, naturalmente, praticados durante os exercícios de braços, de pernas, e através da respiração característica do método. O Pilates auxiliará a gestante no período pós-parto, facilitando o retorno mais rápido do abdômen, e diminuindo a flacidez característica deste período.

Tratamento

Consultando alguns especialistas, eu listei aqui para vocês algumas lesões e doenças que podem ser tratadas com o Pilates, sendo elas: Hérnia de disco, Espondilolistese, Artrose, Artrite, “Bico-de-papagaio” – Osteofitose, Escoliose, Joelho (pré e pós-operatório), Ombro (bursite, tendinite e outros), Dor lombar, Fibromialgia, Cardiopatias, Hipertensão, Labirintite, Osteoporose, Reumatismos e Lúpus Eritematoso.

Entretanto, é importante ressaltar que a prática deve ter liberação médica e ser acompanhada por profissionais da área, preparados para lidar com diversos tipos de doenças e lesões. O ideal é que antes de você optar por alguma clinica ou estúdio, você peca referencias do lugar e faca uma aula experimental.

Principais benefícios

Como falei no início do texto, o Pilates é para ambos os sexos. E apesar da maioria que pratica a atividade ser mulher, o número de homens procurando o método está crescendo e o preconceito diminuindo. Prova disso, é que muitos esportistas – de diferentes modalidades -  tem se livrado de dores constantes e lesões com auxilio do pilates. Isso porque, o pilates proporciona uma série de benefícios importantes para a vida de qualquer  ser humano. Veja os principais:

-Oferece condicionamento físico e mental

-Alívia o stress, diminuindo tensão e fadiga

-Melhora o desempenho sexual

-Propicia um corpo mais firme, flexível e com mais força

-Melhora a postura, eliminando maus hábitos e levando ao correto alinhamento corporal

-Fortalece, e muito, a musculatura abdominal

-Desenvolve os músculos que suportam a coluna eliminando dores crônicas

-Revitaliza e dá leveza ao corpo

-Melhora o  desempenho desportivo

-Promove uma condição segura para melhorar o estilo de vida e a autoestima

-Diminui a porcentagem de gordura do corpo, levando à perda de medidas

-Previne incontinência urinária

Com 60 minutos de aulas, o Pilates pode ser praticado por hobby, com objetivo de perder peso, manter a forma física ou como complemento de algum exercício ou esporte. Em comum, é que quem praticá-lo terá mais qualidade de vida e prazer em realizar as atividades do dia a dia. Que tal experimentar e começar a praticar o método com um especialista?