A Teia Da Vida Uma Nova Compreensão Científica Dos Sistemas Vivos

No início dos anos 90, convidamos Fritjof Capra a vir ao Brasil. O objetivo era provocar um diálogo entre ele e os executivos de empresas clientes sobre sua visão de mundo. Desde meados dos anos 80, organizávamos diálogos semelhantes com renomados "futuristas" internacionais buscando fazer as conexões possíveis entre estratégia empresarial e a forma como o mundo estava "caminhando". Mais do que isso, a forma como a vida no planeta tenderia a evoluir, uma vez que procurávamos ir muito além das previsões econômicas, que ainda estavam muito associadas ao planejamento estratégico tradicional. Capra, para nós, representava uma fase importante dessa nossa abordagem à estratégia e à gestão empresarial. Ele nos ajudaria a associar a busca de novas estratégias e o processo de criação do futuro com o processo de pensar e, conseqüentemente, de perceber o mundo em que vivemos - o todo, esse grande contexto em que a vida acontece. Na realidade, descobrimos que a coisa ia até mais além, na medida em que constatávamos que não se tratava só de ver e perceber as coisas a partir de nossas premissas e teorias (paradigmas...), mas também de como nos colocávamos no mundo... Ficamos muito surpresos com a quantidade de executivos e executivas que vieram ao evento com Capra. Acostumados a grupos menores - pois que estávamos sempre buscando os pensadores mais inovadores do mundo, os pioneiros, em sua maioria, pessoas desconhecidas do grande público - ficamos impressionados com a receptividade a Capra.

Veja texto completo em anexo.