A Experiência De Mulheres Idosas Em Programas De Exercícios Com Pesos Não Determina A Performance No Teste 1-rm Nem A Resposta Da Percepção Subjetiva De Esforço

Este estudo teve como objetivo analisar a influência da experiência de mulheres idosas em programas de exercícios com pesos sobre a performance no teste de uma repetição máxima (1-RM) e a resposta da percepção subjetiva de esforço (PSE). Para tanto, a amostra foi constituída por 22 mulheres na faixa etária de 59 a 84 anos de idade (x: 65,90 ± 7,07 anos). Dezesseis voluntárias tinham experiência mínima de 2 anos em programas de exercícios com pesos (grupo experiente – GE), ao passo que 6 participavam de programa de exercício aeróbico (grupo inexperiente – GI). O GI foi submetido à aprendizagem do exercício “leg press” 45º durante 6 sessões que antecederam o teste 1-RM. Todas as voluntárias foram aleatoriamente submetidas ao teste no mesmo dia e período. A PSE foi determinada por meio de uma escala arbitrária de 0 a 10 (0 – extremamente leve; 2 – muito leve; 4 – leve; 6 – um pouco leve; 8 – pesado; 9 – muito pesado; 10 – extremamente pesado). As voluntárias foram interpeladas a reportarem a PSE ao final da execução do 1-RM. Ambos os grupos apresentaram resultados similares (p>0,01) para a performance no teste 1-RM (GE: 120,66 ± 17,09 kg x GI: 121,67 ± 21,37 kg) assim como para a resposta da percepção subjetiva de esforço (GE: 9,73 ± 0,45 x GI: 9,17 ± 0,98). Foram observados resultados similares para a amostra total independente da experiência (1-RM: 120,91 ± 17,43 kg; PSE: 9,59 ± 0,67). Estes dados permitem concluir que a experiência em programas de exercícios com pesos não influenciou a resposta neuromotora e perceptiva desse grupo de voluntárias. 

Veja texto completo em anexo.