Como Melhorar O Resultado Do Seu Paciente Ou Aluno?

Por mais que estejam cheios de boas intenções, alguns profissionais erram na abordagem que usam com seu cliente e podem, mesmo sem perceber, ser uma das causas pelas quais ele não consegue o resultado desejado...

Um dos fatores que interfere no resultado é o modo como encaremos nossas atividades. Para provar isso, um interessante estudo convidou 56 adultos para dar uma volta no campus, aproximadamente 2km que, em seguida, foram recebidos para um almoço. Eles foram divididos em 2 grupos: enquanto para um grupo foi dito que o objetivo da caminhada era fazer exercícios e, durante a caminhada, o pesquisador perguntava em 6 diferentes pontos como eles estavam se sentindo; para o outro grupo foi dito que a caminhada era para eles se divertiram, receberam um tocador de música e, naqueles mesmos 6 pontos ao longo da caminhadas, eles eram questionados apenas sobre a música. Como resultado, o grupo cuja caminhada tinha objetivo de exercícios, comeram 35% a mais de sobremesa – pudim de chocolate, quando comparados ao grupo que fez a caminhada divertida!

Em outro estudo, publicado junto com o anterior, 46 adultos foram divididos nos mesmos grupos e fizeram o mesmo tour, porém o grupo lazer não recebeu música, foi apenas orientado para curtir a paisagem. Dessa vez ao invés de almoço, foram recebidos com um lanche e os participantes do grupo “exercício” comeram 124% mais chocolate, além disso eles estavam mais cansados e menos felizes do que o grupo que fez a mesma caminhada, mas de modo turístico.

Uma discussão interessante dos autores foi com relação ao nosso hedonismo, nossa constante busca pelo prazer, e que, quãomaior for nossa percepção de esforço e estresse, maior será nossa tendência em buscar por algo que nos dê prazer. E, para muitos, a recompensa mais rápida e prática está na comida.

Sendo assim, preste atenção ao que fala para seu cliente. Pare de falar de calorias, corpo, etc... estimule o bem-estar e o prazer. Claro que as pessoas respondem à estímulos diferentes, mas quantas vezes já não ouvimos alguém dizer "Eu mereço" ao se referir à alguma comida? Por isso, talvez muito mais do que prescrever um plano alimentar ou uma série de exercícios com as últimas tendências do mercado, seu resultado pode vir apenas mudando o modo como você conversa com seu cliente!

Até a próxima.

Desire Coelho

Blog Ciência InForma

www.cienciainforma.com.br

Foto: divulgação


Referência:

Werle et al. Is it fun or exercise? The framing of physical activity biases subsequent snacking. Mark Lett (2015) 26: 691.