7 Dicas Para Escolher O Seu Personal Trainer

No processo da busca pelo corpo ideal, intensificado no verão, muitas pessoas recorrem ao personal trainer, profissional que instrui e acompanha de perto as suas atividades físicas. Esta busca nem sempre é fácil. Normalmente, o profissional é escolhido através de uma indicação, que pode vir de amigos, conhecidos ou até mesmo a partir da academia.

Esse processo de seleção, porém, deve vir acompanhado da análise de vários critérios. Para facilitar essa seleção, confira sete dicas essenciais:

1. Procure um profissional habilitado – Ele deve ser registrado no Conselho Regional de Educação Física. Sem esse registro, não se pode atuar.

2. O profissional deve preservar a sua saúde – A primeira coisa a se levar em conta quando se fala em atividade física é a saúde. Estética não deve se sobrepor a ela. Um profissional, por exemplo, que indica o uso de substâncias ilegais não está preocupado com a saúde, além de fugir da ética da profissão. Dê preferência ao personal que respeita os seus limites e traça objetivos que estejam envolvidos de maneira saudável no dia a dia.

3. Qualificação e estudo constante – Se informe sobre a formação do profissional, faculdade, os cursos que já fez e como ele se atualiza. Certifique-se de que o personal que está para contratar utiliza técnicas atuais, mais modernas e eficientes. O aluno deve procurar um personal que entenda de pessoas como elas são hoje, e que a cada se renove, faça cursos e especializações constantemente.

4. O bom profissional transmite conhecimento – É importante observar que o personal que ensina, transmite o conhecimento relacionado com o exercício, com o corpo, faz a pessoa entender o esforço que ela está fazendo, de modo que se sinta confortável e entenda melhor as execuções dos movimentos. Busque um profissional que se dedique e se preocupe com a transmissão de conhecimento, que não apenas mande fazer os exercícios.

5. Histórico profissional – Procure saber mais o histórico do profissional que você pretende contratar, assim como fazemos quando procuramos um médico. Isso pode lhe trazer mais segurança na escolha.

6. Um profissional para cada público – Todo profissional tem o seu público específico. Aquele que trabalha com qualquer público não conhece em profundidade todos os públicos. Como exemplo, o médico que cuida da pele não é o médico que cuida do coração. Da mesma forma, o profissional que dedica a cuidar do idoso não será também especialista em cuidar de crianças. Para atender bem a um público, ele demandará seu tempo focando nos estudos e atualizações também segmentadas. Então, procure um profissional que seja especializado naquilo que você tenha interesse.

7. Planejamento e evolução – Item muito importante. Para ter um bom profissional ao seu lado, ao conversar com ele você pode perguntar: existe um planejamento? Existe um tempo de planejamento? Como se dará a evolução ao longo do treino? Em quanto tempo ocorrerá cada transformação ao longo do treino? As respostas que o corpo dará dependerão do envolvimento do aluno, claro, mas o aluno deve saber o que o profissional planejou e quais mudanças devem acontecer ao longo de um determinado período. O profissional deve fazer uma periodização do treino, explicando cada etapa ao aluno, deixando-o confortável e seguro.


VIDA SAUDÁVEL

Cristiano Parente

Foto: divulgação