Profissão: Estagiário

O estágio, curricular ou extracurricular, contribui de várias formas para a formação pessoal e profissional do estudante e, por isso mesmo, esta fase da carreira profissional deve ser essencialmente de experimentação. Enquanto está no Ensino Superior, o estudante deve procurar, assim que possível, atuar na área que deseja para ir se familiarizando-se com a rotina de trabalho e desenvolvendo-se. 

"Quando o estudante começa a estagiar, tem a oportunidade de vivenciar a profissão e ver se é aquilo que deseja para sua carreira", explica Seme Arone Junior, diretor de Marketing do NUBE (Núcleo Brasileiro de Estágios). 

Depois dessa identificação do estágio com a carreira, o lado prático da rotina de trabalho passa a fazer sentido, aliada à teoria que o aluno recebe na faculdade. Além disso, uma vez na empresa, ele passa a ser treinado, instruído e pode usar isso como uma vitrine – podendo ser lembrado para novas oportunidades dentro e fora da instituição na qual se encontra. 

O PAPEL DA EMPRESA 

O contratante, muito ao contrário de utilizar seus estagiários como professores “tapa-buraco” (o que inclusive é ilegal), deve sim estabelecer as condições essenciais para  um bom desenvolvimento de seus estagiários.

Deve, por exemplo, prover responsáveis (gestores) preparados para receber, orientar e avaliar o estagiário, porque muitas vezes aquele é o primeiro emprego do estudante e ele está lá para aprender. "O gestor é fundamental para que o estagiário tenha um primeiro contato positivo com o ambiente profissional", comenta Arone. O supervisor direto deve preparar-se para desenvolver as habilidades do estudante, tirar o máximo dele. A própria empresa valoriza este tipo de profissional – aquele que sabe preparar os futuros colaboradores, ou seja, o capital intelectual da empresa. 

Segundo Arone, o estudante quer trabalhar em uma empresa conhecida, aprender muito e ser efetivado, o que implica em uma oportunidade de fazer carreira. Quando é efetivado, encara isso como um reconhecimento e muda até mesmo a forma como ele encara a empresa, pois as responsabilidades aumentam e, por conseqüência, o comprometimento. "O processo de efetivação é o degrau para o primeiro emprego", completa. 

DRIBLANDO A FALTA DE EXPERIÊNCIA 

Por não conhecer ainda nem os aspectos práticos de sua profissão, nem o mercado, o estagiário pode sentir insegurança e ter dúvidas com relação à realização de uma tarefa, mas isso deve ser encarado com naturalidade. No momento da insegurança, o melhor é mostrar-se pró-ativo e interessado, o que significa PERGUNTAR. O estagiário perguntador normalmente é um bom estagiário.

As competências comportamentais são analisadas, por isso é importante mostrar-se disposto a aprender e assumir que não sabe executar determinada atividade. "Esse é o tipo de pessoa que as empresas estão buscando. Aquele que fica acanhado, tímido e erra por não perguntar é descartado", afirma Arone. 

Outra característica valorizada nos estagiários é o fato de não terem nenhum "vício de mercado" e, por isso, podem ser aculturados às atividades da empresa com mais facilidade. 

Evelyn Lemos é coordenadora do Departamento de Recrutamento e Seleção do NUBE e trabalha diretamente com 15 estagiários. Ela acredita que existem muitas vantagens de se trabalhar com estudantes: "Mantenho o setor sempre atualizado, eles conseguem aplicar no trabalho coisas que estão aprendendo agora na faculdade. Nós aprendemos com eles! É uma troca de experiências". Evelyn acredita que é importante desenvolver as competências do estagiário e prepará-lo profissionalmente, porque ele pode vir a ser efetivado e tornar-se parte do quadro da empresa. "Ele não pode virar mão-de-obra barata, nem ficar restrito a atividades operacionais. Pelo contrário, deve agregar valor à empresa também." 

CONQUISTE SEU ESPAÇO 

Para aqueles que estão em busca de uma oportunidade, Gláucia Santos, consultora de Recursos Humanos da Catho Online, dá algumas dicas simples: 

1. Elabore um bom currículo: destaque os conhecimentos adquiridos na graduação, suas disciplinas favoritas e as suas melhores notas. Caso tenha, inclua experiências anteriores. 

2. Divulgue seu currículo! 

3. Desenvolva sua networking (rede de relacionamentos profissionais): converse com seus colegas que já fazem estágio para saber sobre novas vagas dentro das empresas em que trabalham. Converse também com seus professores, eles podem indicar boas oportunidades. 

4. Durante a entrevista, demonstre comprometimento, interesse e foco na sua carreira. 

5. Cuidado essenciais: quando for chamado para uma entrevista, procure vestir-se formalmente e evite o uso de gírias e jargões. 


CATHO ONLINE

Naísa Modesto - Compilado e Adaptado pela equipe do UNIVERSOEF

Foto: divulgação